De Agencia EFE – Há 3 horas

Washington, 14 jul (EFE).- A Microsoft encerrou nesta quarta-feira sua conferência anual de parceiros em Washington com a mensagem clara de que a companhia está em plena transição para garantir sua liderança na conhecida “computação em nuvem”.

A tal “nuvem” representa a tendência de os usuários comuns precisarem apenas da internet para armazenar seus dados, dispensando o uso de computadores cada vez mais potentes, carregados de programas.

Os diretores da Microsoft insistiram durante a conferência em que o citado acesso virtual e o fato de os usuários pagarem segundo o uso são dois dos principais atrativos da “nuvem”.

“Somos os líderes comerciais indiscutíveis no segmento de serviços da nuvem”, disse nesta quarta-feira o diretor-geral de operações da Microsoft, Kevin Turner, durante a conferência que desde segunda-feira teve a participação de cerca de 14 mil pessoas de todo o mundo.

O executivo assegurou que a empresa está em pleno processo de transição para manter e aumentar o terreno conquistado no mundo da “computação em nuvem”.

A famosa nuvem dominou, junto com o conceito de mobilidade e virtualização, o encontro de três dias em Washington.

O presidente da companhia, Steve Ballmer, anunciou durante a conferência que a empresa planeja lançar ainda este ano uma gama de programas que funcionarão com seu sistema operacional Windows 7.

A Microsoft reconheceu não estar muito avançada no mercado da telefonia inteligente, um dos setores que se espera um maior crescimento nos próximos anos, mas expressou sua intenção de competir com força nesse segmento com seu Windows 7 Phone, que sairá ao mercado no final deste ano.

Turner adiantou nesta quarta-feira que será um aparelho “completamente diferente”, que “facilitará muito a vida” do usuário.

O diretor aproveitou para fazer ironia à sua rival Apple, que enfrenta graves problemas com o iPhone 4, seu último telefone inteligente.

“Parece que o iPhone 4 poderia se transformar no Vista (da Apple)”, assegurou nesta quarta-feira Turner em referência ao sistema operacional da Microsoft que estreou no início de 2007 para substituir o sistema Windows XP, mas foi um fracasso.

“Li uma notícia sobre isso na semana passada e tive que rir”, acrescentou.

Turner também não deixou passar a oportunidade para referir sobre outro grande rival, o Google.

Mencionou, nesse sentido, que o site de buscas da Microsoft, Bing, ao que muitos davam por morto, segue ganhando terreno diante do seu rival, que ostenta mesmo assim a liderança indiscutível do setor.

Segundo os últimos dados, o Google teve uma fração de mercado de 62,6% em junho, contra os 63,7% de maio.

O site de buscas da Microsoft conseguiu uma cota de 12,7% em junho, contra 12,1% de maio.

A conferência desta quarta-feira contou também com a presença do ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, que ressaltou que o mundo atual é o mais interdependente da história, principalmente devido ao rápido avanço da tecnologia.

Clinton mencionou que, além de interdependente, o mundo moderno é “instável e desigual” e avança a um ritmo “insustentável”, devido à maneira com que a energia é produzida e consumida.

Ele insistiu em que, dada essa situação, a missão de todos os cidadãos é “reforçar os fatores positivos da interdependência e reduzir os negativos”.

via: Agencia EFE.